Adriana Vernalha

Nov 7, 2019

1 min read

Sobreposição.

Nas linhas colocadas no caderno,

horizontais para melhor descrever o verso;

No pensamento que se situa quando converso,

comigo mesma nesse universo;

Nas linhas que infinitas permanecem, recheadas com palavras,

que se expressem.

No vácuo de um pensamento,

adormecem.

Um café expresso,

com a sua fumaça que flutua,

espuma branca feito a lua,

adoçado, meio amargo,

gosto da boca tua,

cor profunda que mergulha mais uma vez,

no imenso subterrâneo onde se encontra a lucidez.

Embreagado de palavras nuas,

que escorrem água quando são ditas,

um pouco mais do que palavras cruas,

são puras,

entram nas veias e se mostram pelas ruas,

asfaltadas,

sobrepondo-se a elas mesmas,

tapando aos poucos os degraus de uma escada onde alí se encontram

palavras.

A.V. 13/04/04

Artist I Creative Producer. Sometimes in Portuguese sometimes in English @adrianavernalha

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.